Poderia cozinhar na Lua como na Terra?

+1 voto
934 visitas
perguntou 27 Out, 2013 em Sistema Solar por Fernando Fernandes AstroCurioso (1,970 pontos)
recategorizado 11 Dez, 2014 por Guilherme de Almeida

Sendo a Lua um dos hipotéticos lugares a colocar um dia uma base, viver lá no dia a dia suponho que não seria fácil. Umas das questões que me intriga é... será que seria possivel cozinhar na Lua tal como cozinhamos na Terra, mesmo que com algumas limitações, claro.

  

2 Respostas

+1 voto
respondida 27 Out, 2013 por Guilherme de Almeida Super-Nova (24,890 pontos)
editado 31 Out, 2013 por João Clérigo

Bom, suponho que se está a referir a cozinhar dentro de uma cápsula pressurizada (ou laboratório lunar), onde os astronautas (à parte a gravidade mais fraca) encontrarão temperatura e pressão do ar como temos aqui na Terra. Assim sendo, a água entrará em ebulição aos mesmos 100 ºC (aproximadamente), e a cozedura será semelhante. De facto, como g (aceleração da gravidade) na Lua vale aprox 1,6 m/s^2 e na Terra é aprox 9,81 m/s^2, a subida das bolhas de ar, na água fervente, será mais lenta do que na Terra, como vamos explicar seguidamente.

  1. Devido à menor gravidade à superfície lunar as bolhas de ar dentro da água em ebulição, na Lua sobem mais devagar do que na Terra, pois a sua aceleração (da bolha no início da a subida será menor). Tal aceleração inicial é directamente proporcional a g e depende da dansidade do ar dentro da bolha e da densidade da água. Mas a velocidade da bolha na subida não cresce indefinidamente, como veremos no ponto 2.
  2. Por outro lado, a, devido à viscosidade do líquido, neste caso água, a velocidade de subida das bolhas não cresce constantemente. Se a bolha continuar a subir, as forças resistentes do fluido (água) vão crescendo com a velocidade, até que a resultante do peso da bolha, da Impulsão e da força resistente se anula. Então a bolha de ar atinge a correspondente velocidade terminal, passando a subir com movimento uniforme, cuja velocidade (terminal) depende do tamanho (raio r) da bolha, da densidade do ar, da densidade da água e do coeficiente de viscosidade da água, sendo proporcional, mais uma vez, a g (aceleração da gravidade local). 

Portanto, a subida das bolhas será aprox 6 vezes mais lenta (1,6/9,81=1/6,1). Além disso a temperatura da água demorará mais tempo a uniformizar-se dentro do recipiente, pelas correntes de convecção mais lentas devido à gravidade mais fraca. Mas isso não altera significativamente as condições da prática culinária... só demorará mais um pouco até o prato estar pronto e isso pode abreviar-se mexendo o liquido, com cuidado para evitar salpicos...

Bon Appétit...

0 votos
respondida 31 Out, 2013 por Filipe Dias Astrónomo Avançado (6,420 pontos)
editado 11 Dez, 2014 por Guilherme de Almeida

No caso de um forno solar, a inexistência de atmosfera poderia poderia talvez reduzir o tempo de cozedura em 25% sobre o "melhor dos casos", pensando que o efeito que a atmosfera tem no infravermelho é semelhante ao que tem no global da energia vinda do Sol... (1,0 kW/m^2 vs 1,35kW/m^2).

É muito melhor na Lua do que em países a grande latitude no inverno!

Mas desconheço as consequências de cozinhar com raios cósmicos e outras partículas problemáticas vindas do Sol...

Bem-vindo ao Astronomia Q&A, lugar onde poderá perguntar e receber respostas de outros membros da comunidade.

Para profissionais e amadores nos campos da astronomia, astrofísica, astronomia e astrofísica teórica, astronomia observacional, astronomia solar, ciências planetárias, astronomia estelar, astronomia galáctica e extra-galáctica, cosmologia, astrobiologia entre muitas outras.



Antes de doar leia o nosso comunicado

149 perguntas

188 respostas

159 comentários

172 usuários

Partilhar Questão

Contador de Visitas
...