O seeing e falta de aclimatação podem influenciar na correção do campo?

+2 votos
234 visitas
perguntou 15 Jul, 2014 em Telescópios por André Bahia AstroNovato (780 pontos)
editado 25 Fev, 2016 por Guilherme de Almeida

Olá, durante minhas observações noto que em diferentes condições de observação (seeing, aclimatação e fisiológicas como cansaço visual) o campo visual exibido pelas mesmas oculares parece ter correção melhor ou pior. O telescópio estava devidamnte colimado nestas ocasiões.

Em princípio, imaginei que meu cansaço visual fosse o único responsável (nas noites em que estou com a visão cansada, as oculares parecem apresentar mais distorções de todo o tipo, crescendo em direção às bordas). Mas, observei em mais ocasiões do que gostaria, que mesmo sem nenhum cansaço sisual perceptível, quando o telescópio não está aclimatado, a correção do campo parece pior. E algumas vezes, mesmo depois que se passou tempo suficiente para o equipamento aclimatar, a correção do campo parece ainda estranhamente ruim. Mas este ultimo caso só observo quando o seeing não está muito bom.

O seeing e a falta de aclimatação realmente deterioram a correção do campo? Fazendo-o parecer mais curvo inclusive? Ou a explicação seria outra?

  

1 Resposta

0 votos
respondida 16 Jul, 2014 por Guilherme de Almeida Super-Nova (24,890 pontos)
editado 22 Jul, 2014 por Guilherme de Almeida
 
Melhor resposta

Trata-se de uma pergunta muito interessante.

A fadiga ocular é um facto incontornável, que é acelerada pela necessidade frequente de acomodação (o mecanismo de focagem automática do olho, baseado na alteração da curvatura do cristalino). Ao fim de várias acomodações sucessivas, o olho do observador fatiga-se; continuar a acomodar torna-se cansativo e para algumas pessoas origina dores de cabeça.

A necessidade de acomodar frequentemente é o principal factor que provoca esse problema, dado que o ajuste (melhor ou pior) entre a curvatura do campo-objecto da ocular e a curvatura do campo-imagem da objectiva obrigam quase sempre a acomodar quando o olho passa de observar o centro do campo para obrservar a borda do campo. Ao fim de algum tempo, a acomodação fica menos eficaz (por fadiga), o que leva o observador a achar que a nitidez do campo é menos uniforme....

Modificação da curvatura de campo é muito improvável que aconteça. No entanto, é de esperar que a uniformidade da nitidez no campo-imagem da objectiva sofra por efeito da turbulência, dado que a luz que forma imagens no centro e na borda do campo vem de direcções diferentes, sendo o ângulo entre essas direcções igual a metade do campo (real) coberto pelo telescópio usando  a ocular que está a ser utilizada no momento.  Se o telesópio está a cobrir 1º, a refrida diferença será de meio grau, o que pressupõe percursos ópticos ligeiramente diferentes da luz através da atmosfera, para esses dois pontos referidos.

Mas para eliminar a componente humana-olho, pode~se fotografar um campo extenso (o mais extenso possível) através do telescópio e ver se o problema persiste. E de preferência fazer uma série de imagens com poucos segundos de intervalo, para ver se se notam diferenças de uniformidade de nitidez entre o centro e a borda do campo.

Abraço

Guilherme de Almeida

comentou 17 Jul, 2014 por André Bahia AstroNovato (780 pontos)
editado 17 Jul, 2014 por Administrador
Obrigado pela atenção!
Também acho estranho essa aparente variação na curvatura do campo. Vou tentar seguir sua sugestão.

Bem-vindo ao Astronomia Q&A, lugar onde poderá perguntar e receber respostas de outros membros da comunidade.

Para profissionais e amadores nos campos da astronomia, astrofísica, astronomia e astrofísica teórica, astronomia observacional, astronomia solar, ciências planetárias, astronomia estelar, astronomia galáctica e extra-galáctica, cosmologia, astrobiologia entre muitas outras.



Antes de doar leia o nosso comunicado

149 perguntas

188 respostas

159 comentários

172 usuários

Partilhar Questão

Contador de Visitas
...