+3 votos
351 visitas
perguntou em Observações Astronómicas por AstroNovato (970 pontos)
reclassificado por

Suponhamos que vemos 2 fotografias da Lua sem saber em que posição estava:

  • Uma com a Lua em falcada crescente, creio que é assim que se designa entre a Lua nova e o quarto crescente.
  • Outra, semelhante, em eclipse parcial pela Terra.

Sem saber em que posição a Lua estava é possível identificá-las pela análise da sombra?

  

1 Resposta

0 votos
respondida por Galáctico (26.8k pontos)
editado por

É possível, sem qualquer sombra de dúvida.

Para introdução, e porque vou usar seguidamente essa palavra, dá-se o nome de terminador à linha que separa a luz da sombra na superfície da Lua (ou de um qualquer planeta). Ou seja, à linha que passa pelos locais da superfície da Lua em que o Sol está a nascer (na Lua crescente, da Lua-nova à Lua-cheia, sem considerar estes extremos) ou à linha que une os pontos da superfície lunar em que o Sol se está a pôr (no caso da Lua minguante, ou seja, da Lua-cheia  à Lua-nova, sem considerar estes extremos). Nos casos extremos não nos apercebemos do terminador.

Na fase da Lua em primeira falcada: 

(A primeira falcada é a fase lunar intermédia entre a Lua-nova e o quarto-crescente, quando a "largura" vale 1/4 da "altura")

  1. O terminador é um arco de elipse.
  2. O terminador é bem recortado, onde se evidenciam (ao telescópio) crateras que projectam sombras longas, pois nos locais do terminador o Sol está a nascer.
  3. O terminador, visto a olho nu, muda pouco num intervalo de meia hora.

 

Na Lua eclipsada parcialmente pela sombra da Terra, com aparência que (para quem não esteja atento), se possa parecer com uma primeira falcada, ou seja, pouco depois da totalidade do eclipse lunar:

  1. O "falso terminador" (na realidade é o contorno da sombra da Terra projectado na Lua) é sempre um arco de circunferência. Em vez de "falso terminador" diremos, a partir deste momento, contorno da sombra da Terra.
  2. O contorno da sombra da Terra é difuso, pois o Sol não é uma fonte luminosa pontual; ao telescópio,  as crateras lunares no contorno da sombra da Terra não projectam sombras longas porque o que estamos a ver é, na realidade, parte de uma Lua-cheia.
  3. A parte da Lua coberta pela sombra da Terra muda bastante num intervalo de meia hora.

 

NOTAS FINAIS:

A — Realço que o contorno da sombra da Terra sobre a Lua é sempre circular. Mas o terminador lunar muda de forma: é uma circunferência na Lua cheia; é um arco de elipse de excentricidade variável nas fases da Lua intermédias; e degenera num segmento de recta, de comprimento igual ao diâmetro lunar, nas duas fases de quadratura.

B — Quando o terminador lunar se apresenta como elipse, vemos apenas um arco, correspondente a metade da elipse, ficando a outra metade a passar pela face oculta da Lua. O eixo maior desta elipse é sempre alinhado na direcção perpendicular ao plano da eclíptica. O terminador apresenta-se como uma circunferência coincidente com o limbo (contorno) da Lua na fase de Lua -cheia.

 O acima referido  "sem considerar estes extremos" tem a ver com o referido em "A".

 Penso ter respondido plenamente à sua pergunta.

Guilherme de Almeida

http://www.wook.pt/product/searchidautores/autor_id/5235/fsel/8066

 

comentou por AstroNovato (970 pontos)
Obrigado pela resposta, perfeitamente esclarecedora.

Compreendi, sendo a melhor e a mais óbvia explicação, a regra da mudança de posição da sombra ao fim de, digamos, 1/2 hora.

Espero agora usar mais este forum.

Bem-vindo ao Astronomia Q&A, lugar onde poderá perguntar e receber respostas de outros membros da comunidade.

Para profissionais e amadores nos campos da astronomia, astrofísica, astronomia e astrofísica teórica, astronomia observacional, astronomia solar, ciências planetárias, astronomia estelar, astronomia galáctica e extra-galáctica, cosmologia, astrobiologia entre muitas outras.



Antes de doar leia o nosso comunicado

162 perguntas

204 respostas

176 comentários

228 usuários

Partilhar Questão

Contador de Visitas
...