Nono planeta

+5 votos
137 visitas
perguntou Jan 21, 2016 em Sistema Solar por Francisco Mauricio AstroNovato (940 pontos)
reclassificado Jan 22, 2016 por Guilherme de Almeida
Notícias recentes anunciam a descoberta, por enquanto teórica, de um nono planeta.

É descoberta teórica porque ainda não foi observado.

Como foi detetado?

Pela perturbação que provoca no sistema solar?

É assim como foi com Plutão, que foi "descoberto" antes de ser observado pela perturbação provocada?
  

1 Resposta

+2 votos
respondida Jan 22, 2016 por Guilherme de Almeida Super-Nova (24,440 pontos)
editado Jan 24, 2016 por Guilherme de Almeida
 
Melhor resposta

É cedo para certezas ou especulações.

A notícia surgiu do comportamento anómalo das órbitas de 13 objectos da cintura de Kuiper. Esse comportamento anómalo poderia ser explicado pela existência de um suposto planeta de massa correspondente a cerca de 10 massas terrestres, movendo-se numa órbita de semieixo maior em torno de 600 unidades astronómicas (20 vezes mais longe do Sol do que Neptuno).  Em vez das perturbações na órbita de um corpo, foram desta vez perturbações num conjunto de corpos.

Se a distância estiver correcta (600 u. a.), o planeta receberá por cada metro quadrado da sua superfície (e por unidade de tempo), em incidência perpendicular, em média algo como (1/600)2 = 1/360 000 da potencia que aqui na Terra recebemos do Sol. Essa potência, denominada constante solar vale 1360 W/m2 (na Terra); consequentemente, nesse planeta X, seria 0,00378 W/m2.

O período orbital estará entre os 10 000 anos e os 20 000 anos terrestres. O suposto planeta, ainda não baptizado, estará tão longe do Sol (distância média aprox., 600 u. a.) que se pode dizer que fica a uma distância média de cerca de 0,01 ano-luz. Será (se se confirmar) o 5.º maior planeta do Sistema Solar. Admite-se que suposto planeta terá uma órbita muito alongada, ou seja, com um periélio muito mais próximo do que o afélio: cerca de 200 u. a. versus mais de 1000 u.a.).

Curiosamente, um dos supostos descobridores, Mike Brown, foi um dos elementos mais activos na destituição de Plutão como planeta (em 2006). E agora poderá ser ele a trazer novamente um nono planeta para o Sistema Solar.

?itok=1wE6ahlP

Links de interesse:

EM PORTUGUÊS

EM FRANCÊS

EM INGLÊS

Até aparecerem confirmações, ou não, há que esperar. A ver vamos.

A resposta foi-lhe útil? Se foi, dê-lhe o seu voto.

Guilherme de Almeida

comentou Jan 23, 2016 por Francisco Mauricio AstroNovato (940 pontos)
Queria dar voto, mas, não consigo, apesar de o cursor se transformar numa mão.
comentou Jan 24, 2016 por Guilherme de Almeida Super-Nova (24,440 pontos)
editado Jan 24, 2016 por Guilherme de Almeida

Nota complementar

Tanto no caso de Plutão como no caso deste novo (hipotético) planeta, a situação é parecida:

1. As observações dos movimentos de corpos celestes da vizinhança do hipotético planeta revelam anomalias face ao esperado.

2. Hipótese de que um planeta numa dada posição, não demasiado longe dos locais da perturbação poderá ser a causa dos factos observados.

3. Cálculo da posição onde deverá estar o hipotético planeta, de modo a produzir as anomalias observadas, e estimativa da respectiva massa.

4. Localização e detecção do objecto, após algumas tentativas. Normalmente por via fotográfica, geralmente por comparação de fotografias obtidas em ocasiões diferentes.


No item 1, para Plutão havia anomalias de Neptuno. Neste novo caso, há anomailias de 13 corpos que orbitam em torno de um ponto hipotético em vez de orbitarem directamente o Sol. Ainda não se chegou ao ponto 4.

Neste novo caso, o suposto planeta ( caso exista, com as dimensões previstas e com albedo semelhante ao de Plutão) terá, segundo cálculos rápidos que fiz, algo como a magnitude aparente 28, o que, comparado com a magnitude aparente de Plutão (14,7) dá conta do pouquíssimo brilho: cerca de 200 000 vezes menos luminoso do que Plutão.

Ora, se Plutão só é observável com telescópios de mais de 25 cm de diâmetro,  mostrando-se — mesmo com essa ajuda óptica — como uma estrela muito débil, isto dá conta da tremenda dificuldade de detecção visual do objecto. Mesmo fotograficamente será um desafio duro de roer.

Se existir mesmo, ninguém lhe tirará o título de planeta,  mais do que garantido pelas suas hipotéticas 10 massas terrestres, ou para comparação, cerca de 3700 massas de Plutão.

Guilherme de Almeida

Bem-vindo ao Astronomia Q&A, lugar onde poderá perguntar e receber respostas de outros membros da comunidade.

Para profissionais e amadores nos campos da astronomia, astrofísica, astronomia e astrofísica teórica, astronomia observacional, astronomia solar, ciências planetárias, astronomia estelar, astronomia galáctica e extra-galáctica, cosmologia, astrobiologia entre muitas outras.



Antes de doar leia o nosso comunicado

146 perguntas

186 respostas

157 comentários

176 utilizadores

Partilhar Questão

Contador de Visitas
...