Em filmes de 'ficção', vemos naves espaciais inclinarem-se ao curvar. Faz sentido?

+2 votos
59 visitas
perguntou 21 Out, 2016 em Astronáutica por LUIS B. AstroNovato (640 pontos)
Quem já viu filmes ou séries de TV de 'ficção científica', certamente reparou que em combates 'intergalacticos' ou na simples viagem de um planeta para outro, alguns dos bravos astronautas inclinam as suas naves para o lado da curva.

Nós sabemos que na atmosfera terrestre os aviões usam ailerons e leme de direcção, mas também flaps, trim tabs e outras pequenas engenhocas, não só para estabilizar o aparelho, como também para rolar ou curvar de forma mais ou menos suave. A sustentação e o arrasto - no fundo o efeito do contacto entre o ar e as superfícies do aparelho - determinam o seu comportamento e podem ser controladas pelo piloto. Pelo menos a ideia é essa.

No espaço exterior existem apenas raríssimas partículas (esqueçamos as radiações, os neutrinos e outras coisas pequenas) que provocarão algum atrito sim, mas somente por efeito acumulado ao fim de milhões e milhões de km.

Então porque se inclinam as naves nestes filmes?

a) Porque o realizador acha que é assim.

b) Porque fica melhor na fotografia.

c) Pela soma de a) e b).

d) Para gerar micro-gravidade no interior da nave.

e) Por qualquer outra razão.

NOTA: Quem quiser pode acrescentar mais alíneas
  

1 Resposta

+1 voto
respondida 22 Out, 2016 por Guilherme de Almeida Super-Nova (24,890 pontos)
selecionada 10 Mar por Administrador
 
Melhor resposta

Curiosa questão.

Em geral vemos esse efeitos em combates entre naves espaciais. O objectivo das inclinações e rotações será optimizar a posição de ataque ou de defesa. E nas condições do espaço, esse efeito só pode conseguir-se com micro-foguetes auxiliares que permitem  (em condições espaciais) esses efeitos. É claro que não se trata de interacção entre a nave e  o espaço envolvente. Foguetes auxiliares, convenientemente posicionados nas naves, e habilmente doseados,  podem produzir acelerações lineares (longitudinais e transversais) e acelerações angulares (medidas respectivamente em m/s2, m/s2 e rad/s2).
Encontrar a melhor posição para disparar, esquivar-se aos ataques do inimigo e virar para o voltar a atacar em outro ângulo são operações que exigem esses volteios.
As inclinações (em torno do eixo longitudinal) podem ser necessárias para optimizar o disparo ou para expor as partes mais resistentes da "nossa" nave às agressões do adversário, para "nossa" protecção.

Estou certo de não ter respondido à totalidade a pergunta, pelo que há obviamente  espaço aberto para  quem quiser acrescentar algo, ou alguma outra perspectiva do problema que me tenha escapado.

GA

comentou 22 Out, 2016 por LUIS B. AstroNovato (640 pontos)
Pois é como diz; só com foguetes auxiliares (tal como usamos os de hidrazina nos nossos satélites)! Mas a piada é que, pelo menos aparentemente, nesses filmes de suposta ficção científica, o que se vê muitas vezes são manobras típica de 'caças' terrestres que mudam de trajectória jogando com a resistência da atmosfera! Inclinar (rolar sobre o eixo longitudinal) na ausência de atmosfera, não aquece nem arrefece para dar a voltinha!

A intenção com que levantei a questão foi a de chamar a atenção dos colegas que usam este site, para tomarem atenção a algumas das asneiradas dos filmes 'série B' de ficção (onde por vezes até se ouvem explosões no vácuo!).

Podemo-nos divertir, claro, mas já agora com coisas que não nos induzam em erro.

Bem-vindo ao Astronomia Q&A, lugar onde poderá perguntar e receber respostas de outros membros da comunidade.

Para profissionais e amadores nos campos da astronomia, astrofísica, astronomia e astrofísica teórica, astronomia observacional, astronomia solar, ciências planetárias, astronomia estelar, astronomia galáctica e extra-galáctica, cosmologia, astrobiologia entre muitas outras.



Antes de doar leia o nosso comunicado

149 perguntas

188 respostas

159 comentários

172 usuários

Partilhar Questão

Contador de Visitas
...